Oficina Cultural Oswald de Andrade recebe Mostras Surrealista e Modernista de Cinema

Em janeiro, a Oficina Cultural Oswald de Andrade, programa da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo e gerenciado pela Poiesis, será o local certo para quem quiser aproveitar um bom filme. Os amantes do cinema poderão assistir gratuitamente, no Cineclube da Oswald de Andrade, filmes que dialogam com os movimentos surrealista e modernista.

No dia 15 de janeiro terá início a Mostra Surrealista de Cinema, coordenada por Gilka Verana, que reúne obras que exploram o inconsciente, o choque e o sonho na realidade concreta. Os filmes serão transmitidos no Cineclube da Oficina Cultural sempre aos sábados, a partir das 16h. Os interessados precisam retirar os ingressos com uma hora de antecedência. A atividade tem lotação máxima de 30 lugares.

O primeiro filme da Mostra, que será exibido no dia 15, é “As Pequenas Margaridas” (1966), dirigido por Vera Chytilová, que utilizou efeitos especiais avançados para a época. A obra surrealista conta a história de duas garotas chamadas Marie que decidem se adequar ao mundo como ele está: sendo depravadas. Assim, ambas partem em uma série de encontros forjados e travessuras, desconstruindo o mundo ao seu redor.

No dia 22 será a vez do filme “A Montanha Sagrada” (1973), de Alejandro Jodorowsky, que apresenta a história de Ladrão, uma figura similar a Jesus. Ele perambula por estranhos cenários repletos de símbolos religiosos e pagãos. Em determinado momento, surge um guia espiritual que o apresenta a sete pessoas, cada uma representando um planeta do sistema solar. O grupo segue para a Montanha Sagrada. A ideia é ocupar o lugar dos deuses imortais que lá vivem e dominam o mundo. A obra é indicada para maiores de 18 anos.

O último dia da Mostra, 3 de fevereiro, será marcado pelo filme “La Danza de La Realidad” (2013), de Alejandro Jodorowsky. A produção é uma cinebiografia de Alexandro Jodorowsky que explora as aventuras e as buscas da sua vida. Nascido no Chile em 1929, na pequena cidade de Tocopilla, Jodorowsky teve uma educação rígida e violenta. Apesar dos fatos serem reais, a ficção ganha vida com um universo poético que reinventa a sua história.

Mostra Surrealista de Cinema integra a temporada do espetáculo “As Mamas de Tirésias”, que, de 15 de janeiro a 12 de fevereiro, terá apresentações na área externa da Oficina Cultural Oswald de Andrade. O espetáculo, dirigido por André Capuano, reúne três atrizes que mergulham no drama surrealista de Guillaume Apollinaire para contar a história de Teresa, que amarra seu ex-marido, se veste com suas roupas, sai de casa lutando por liberdade e inicia uma campanha em Zanzibar contra a procriação. Seu ex-marido, em resposta, gera sozinho, num só dia, 40.050 crianças que assumem formas macabras.

Outro movimento que servirá de inspiração para uma Mostra de obras cinematográficas é o Modernismo. Na Mostra “Luz Moderna: Leituras Cinematográficas da Literatura Brasileira”, coordenada por Rudá K. Andrade, historiador e neto de Oswald de Andrade, serão apresentados filmes e vídeos que dialogam com obras e referências da literatura modernista. A seleção oferece uma perspectiva antropofágica da experiência cinematográfica brasileira em busca de suas raízes literárias. As obras serão exibidas sempre às quartas-feiras, a partir das 18h30.

A Mostra, que também ocupará o Cineclube da Oficina Cultural, começa no dia 19 de janeiro com a exibição do filme “O Homem do Pau Brasil” (1981), de Joaquim Pedro de Andrade, que apresenta a trajetória do escritor Oswald de Andrade, ícone do modernismo brasileiro, sendo interpretado por um ator e uma atriz.

Em fevereiro será exibido o curta “Herói Póstumo da Província” (1973), de Rudá de Andrade, que resgata a vida e a memória de Oswald de Andrade, seu pai. E a primeira parte da Mostra será encerrada no dia 9 de fevereiro com o filme “Como era gostoso o meu francês” (1971), de Nelson Pereira dos Santos. O filme narra um Brasil de 1594, onde um aventureiro francês fica prisioneiro dos Tupinambás. Enquanto aguarda para ser executado, o estrangeiro aprende os hábitos dos índios e se une a uma indígena que tenta ajudá-lo a fugir.

Serviço

Oficina Cultural Oswald de Andrade

Mostra Surrealista de Cinema

Coordenação: Gilka Verana

15, 22/01 e 5/2 — Sábados — 16h

Público: interessados em geral.

30 lugares | Retirar ingressos com uma hora de antecedência.

Duração: Ver a duração de cada filme.

Classificação etária: Ver a classificação de cada filme.

Local: Oficina Cultural Oswald de Andrade | Rua Três Rios, 363 – Bom Retiro – São Paulo/SP

Programação

Dia 15/1:

As Pequenas Margaridas (Tchecoslováquia, 1966, Comédia, Drama, 1h14min)

Direção: Vera Chytilová

Classificação indicativa: 16 anos.

Dia 22/1:

A Montanha Sagrada (EUA, México, 1973, Aventura, Fantasia, Drama, 1h54min)

Direção: Alejandro Jodorowsky

Classificação indicativa: 18 anos.

Dia 5/2:

La Danza De La Realidad (França, Chile, 2013, ficção, 2h10min)

Direção: Alejandro Jodorowsky

Classificação indicativa: 16 anos

Espetáculo: As Mamas de Tirésias

Produção e idealização: Gilka Verana

15/1 a 12/2 — Sábados — 11h às 15h

Público: Interessados em geral a partir de 16 anos.

20 lugares | Retirar ingressos com uma hora de antecedência.

Duração: 160 minutos

Área externa da Oficina Cultural Oswald de Andrade

Local: Oficina Cultural Oswald de Andrade | Rua Três Rios, 363 – Bom Retiro – São Paulo/SP

Cineclube: “Luz Moderna”  Leituras Cinematográficas da Literatura Brasileira

Coordenação: Rudá K. Andrade

19/1 a 9/2 — Quartas-feiras — 18h30 às 21h30

Público: Interessados em geral a partir de 16 anos.

30 lugares | Retirar ingressos com uma hora de antecedência.

Local: Oficina Cultural Oswald de Andrade – Rua Três Rios, 363 – Bom Retiro – São Paulo/SP

PROGRAMAÇÃO:

Dia 19/01

O Homem do Pau Brasil (Brasil, 1981, Comédia, 1h52min)

Direção: Joaquim Pedro de Andrade

Classificação indicativa: 16 anos

Dia 03/02

Herói Póstumo da Província (Brasil, 1973, Curta-metragem, 15min)

Direção: Rudá K. Andrade

Classificação indicativa: não informado.

Dia 09/02

Como Era Gostoso o Meu Francês (Brasil, 1971, Comédia/Humor ácido, 1h24min)

Direção: Nelson Pereira dos Santos

Classificação indicativa: 10 anos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *