44ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo exibe 31 filmes gratuitos online

A 44ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo será inteiramente online. Além dos filmes que serão exibidos virtualmente em sessões pagas, o festival também exibirá 31 filmes gratuitamente pelo Sesc Digital e SPCine Play.

A seleção de filmes gratuitos conta com produções do Brasil, Índia, Palestina, Estados Unidos, Grécia e mais. Cada exibição está sujeita ao número de visualizações disponíveis de cada longa. Veja abaixo os filmes que serão exibidos gratuitamente e online na edição de 2020 do festival e o link de cada um para site oficial da Mostra.

SESC DIGITAL

1986, de Lohar Herzog (Alemanha, Belarússia)

A Herdade, de Tiago Guedes (Portugal)

Cracolândia, de Edu Felistoque (Brasil)

Guerra, de José Oliveira e Marta Ramos (Portugal)

Ladrões de Cinema, de Fernando Coni Campos (Brasil)

Luz Acesa, de Guilherme Coelho (Brasil)

Sem Cabeça, de Kaveh Sajjadi Hosseini (Irã)

Nimby, de Teemu Nikki (Finlândia)

O Caminho para Moscou, de Micha Lewinsky (Suíça)

O Mágico e o Delegado, de Fernando Coni Campos (Brasil)

Sem Som, de Behrang Dezfoulizadeh (Irã)

Sobradinho, de Cláudio Marques e Marília Hughes (Brasil)

Uivos São Ouvidos, de Julio Hernandez Cordon (México)

Vencidos da Vida, de Rodrigo Areias (Portugal)

Viagem ao Fim do Mundo, de Fernando Coni Campos (Brasil)

Winona, de Alexandros Voulgaris (Grécia)

SPCINE PLAY

A Arte de Derrubar, de Aslaug Aarsæther e Gunnbjörg Gunnarsdóttir (Noruega, África do Sul)

A Vida na Estrada, de Sidra Rezwan, Salva Soleiman Sedo, Ekhlas Heydar Samubud, Adnan Faroq (Iraque)

Candango: Memórias do Festival, de Lino Meireles (Brasil)

Colômbia Era Nossa, de Jenni Kivistö, Jussi Rastas (Finlândia, França, Dinamarca, Noruega)

Dau. Degeneração, de Ilya Khrzhanovskiy E Ilya Permyakov (Alemanha, Ucrânia, Reino Unido, Rússia)

Eeb Allay Ooo!, de Prateek Vats (Índia)

Entre o Céu e a Terra, de Najwa Najjar (Palestina, Luxemburgo, Islândia)

Gatilho, de Pavel Ganin (Rússia)

La Planta, de Beto Brant (Brasil)

O Paraíso da Serpente, de Bernardo Arellano (Itália, México, Eua)

O Pequeno Refugiado, de Batin Ghobadi (Turquia, Irã)

Pilatos, de Linda Dombrovszky (Hungria)

Poppie Nongena, de Christiaan Olwagen (África Do Sul)

Samba de Santo – Resistência Afro-baiana, de Betão Aguiar (Brasil)

Solo, de Sevgi Hirschhäuser (Alemanha, Turquia)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *