Petra Belas Artes à La Carte lança cinco filmes hoje na plataforma

O cardápio À La Carte desta quinta (28/05) traz lançamento do inédito “O Hotel às Margens do Rio” (2018), de Hong Sang-soo que chega diretamente no streaming, com exclusividade.

Inédito em circuito comercial no Brasil, “O HOTEL ÀS MARGENS DO RIO”, dirigido e escrito pelo Hong Sang-soo, será lançado pela Pandora Filmes na plataforma digital BELAS ARTES À LA CARTE, a partir desta quinta, dia 28 de maio, a preço promocional de R$ 7,90. O filme foi exibido no 71º Festival de Locarno, onde levou o prêmio de melhor ator, e esteve na programação do Festival do Rio em 2018.  

E tem mais 4 novidades: clássico de terror gótico, cult italiano que revelou Liv Tyler, mais um filme de Hong Sang-soo, e uma aventura futurista da Nova Zelândia: “Sangue de Pantera”(1942), de Jacques Tourneur; “Beleza Roubada”(1996), de Bernardo Bertolucci; “Hahaha” (2010), de Hong Sang-soo; e “Navigator: Uma Odisseia No Tempo”(1988), de Vincent Ward.

Veja abaixo mais sobre cada um dos filmes adicionados ao Petra Belas Artes à La Carte.

– “O Hotel às Margens do Rio” (Coreia do Sul, 2018), filme inédito de Hong Sang-soo, chega como estreia exclusiva! Reconhecido mundialmente como um dos maiores expoentes do cinema sul-coreano, o diretor Hong Sang-soo retorna sua parceria com a atriz Kim Min-hee em “O Hotel às Margens do Rio”, longa que poderá ser alugado com exclusividade a partir desta quinta, exclusivamente no À La Carte.

Nele o espectador acompanha um famoso poeta, Younghwan (Ki Joobong), que passou a morar no hotel de seus amigos às margens do rio Han. O humor melancólico de “O HOTEL ÀS MARGENS DO RIO” é refletido na fotografia atmosférica em preto e branco do diretor de fotografia Kim Hyungkoo, que faz com que as imagens quase desbotem um cenário impressionante. No filme, apesar de parecer perfeitamente saudável, Younghwan está convencido de que pode estar prestes a morrer, e por isso, chama seus dois filhos separadamente para o hotel em um dia em que uma forte nevasca cobre o lugar. Enquanto isso, no mesmo hotel, Sanghee (Kim Minhee) também procura refúgio, lamentando um relacionamento fracassado e cuidando de seus ferimentos, tendo sua vida casualmente entrelaçada pela história de Younghwan.

– “Sangue de Pantera” (EUA, 1942) é um filme dirigido pelo francês Jacques Tourneur (1904–1977), que se mudou ainda criança para os Estados Unidos com o seu pai, o também diretor Maurice Tourneur, de quem foi montador, em Hollywood. Após dirigir alguns curtas-metragens, o jovem ganhou a função de assistente de direção de Jack Conway na superprodução “A Queda da Bastilha”(1935), onde conheceu Val Lewton, que viria a chefiar a unidade de terror da RKO, e convidou Tourneur para ser seu primeiro diretor. O resultado foi o estrondoso sucesso “Sangue de Pantera”, obra de surpreendente qualidade artística, que levou multidões ao cinema. Este foi o início de uma carreira de sucesso, com várias outras obras-primas dirigidas por ele, passando pelos mais variados gêneros. A francesa Simone Simon(1910–2005), a estrela protagonista, já havia trabalhado no hoje clássico “A Besta Humana”(1938), de Jean Renoir, e chegou a atuar numa continuação de “Sangue de Pantera”, intitulado “A Maldição do Sangue da Pantera”(1944), de Gunther von Fritsch, codirigido pelo vencedor do Oscar Robert Wise. “Sangue de Pantera” ganhou refilmagem dirigida por Paul Schrader, “A Marca da Pantera”(1982), um thriller estrelado por Nastassja Kinski e Malcom McDowell.  

– “Beleza Roubada” (Itália/França/Reino Unido, 1996), de Bernardo Bertolucci, é o 4º filme da atriz Liv Tyler e o seu primeiro como protagonista. A história da jovem Lucy, que tenta descobrir a identidade do pai biológico, reflete a vida da própria Liv Tyler. Em uma entrevista, a atriz afirmou que só aos 8 anos soube que era filha de Steven Tyler, líder da banda Aerosmith, e que até então pensava ser filha do músico Todd Rundgren, por quem foi criada. Este filme marca a última atuação do icônico ator francês Jean Marais(1913–1998), imortalizado em clássicos como “A Bela e a Fera”(1946), “Águia de Duas Cabeças”(1948) e “Orfeu”(1950), todos de Jean Cocteau. 

– “Hahaha” (Coreia do Sul, 2010), de Hong Sang-soo, vencedor do prêmio Un Certain Regard no Festival de Cannes, foi o primeiro filme do cineasta sul-coreano Hong Sang-soo lançado no circuito comercial brasileiro. O diretor, que é um dos maiores nomes do atual cinema sul-coreano, já tem outros dois filmes no À La Carte (“O Dia Depois” e “A Visitante Francesa”), neste 28/05, além da entrada de “Hahaha”, terá também a estreia do novo “O Hotel às Margens do Rio”, estrelado por Kim Min-hee, que chega diretamente no streaming, com exclusividade. Entre os protagonistas de “Hahaha”, temos o ator Yoo Joon-Sang, que também está em “O Hotel às Margens do Rio”, e a atriz Moon So-Ri, que atuou em “A Visitante Francesa” e no grande sucesso “A Criada”, de Park Chan-wook. 

– “Navigator: Uma Odisséia No Tempo” (Austrália/Nova Zelândia, 1988), é um filme de Vincent Ward, o mesmo diretor do sucesso “Amor Além da Vida”(1998), estrelado por Robin Williams. “Navigator” foi o filme que levou os produtores de “Alien 3″(1992) a contratarem Vincent Ward como roteirista/diretor, embora ele acabasse por deixar a produção depois de muitas incompatibilidades criativas com o estúdio, sendo substituído por David Fincher. O neozelandês Hamish Gough, o garoto protagonista, atuou em apenas mais um filme, o premiado “Um Anjo em Minha Mesa”(1990), de Jane Campion, e hoje trabalha como assistente de diretor de produções para cinema e TV de seu país. 

BELAS ARTES À LA CARTE:    
A partir de 29 Planos de assinatura com acesso a todos os filmes do catálogo em 2 dispositivos simultaneamente. Valor assinatura mensal: R$ 9,90 | Valor assinatura anual: R$ 108,90     

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *