Filmes

47ª Mostra de Cinema SP: Prêmio Cultures of Resistance é entregue para indígenas do filme Somos Guardiões

Ativistas retratados no documentário “Somos Guardiões”, exibido na Mostra Internacional de Cinema em São Paulo, receberam um prêmio inédito no Brasil: o Cultures of Resistance. O prêmio, no valor de $10.000 dólares, será concedido aos guardiões da floresta das aldeias Tembé e Guajajara, e à Mídia Indígena, exclusivamente para a compra de câmeras, drones e tecnologia adicional, e se destina a equipar os indígenas para melhor documentar e proteger a floresta amazônica em seus territórios.

Criado por Iara Lee, documentarista brasileira que participou da 47.ª edição da Mostra SP com dois filmes, o prêmio é concedido pela sua Fundação Cultures of Resistance, que oferece apoio financeiro a destacados ativistas ao redor do mundo. Iara Lee assistiu ao documentário ‘Somos Guardiões’ na Mostra em São Paulo e sentiu-se inspirada a premiar os guardiões retratados no filme. O prêmio foi concedido durante a cerimônia de premiação da Mostra, dia 1º de novembro, diretamente ao líder dos guardiões da floresta da aldeia Zutiwa em Arariboia, Marçal Guajajara, ao representante da Mídia Indigena, Regis Guajajara, e a uma das diretoras do filme, Chelsea Greene.

“Os defensores das florestas em ‘Somos Guardiões’ estão fazendo um trabalho essencial para proteger os ecossistemas vulneráveis que sustentam toda a vida na Terra”, afirma Iara Lee. “Eles são uma grande inspiração para mim e toda a humanidade deveria estar grata por sua coragem e dedicação.” Ela acrescenta: “Este é um filme importante e estou muito feliz de ver todo o ativismo que nasce dele”.

“Somos Guardiões” é dirigido pelo cineasta indígena Edivan Guajajara e pelos documentaristas ambientais Chelsea Greene e Rob Grobman. O documentário acompanha a luta do indígena, guardião da floresta, Marçal Guajajara e da ativista Puyr Tembé para proteger seus territórios do desmatamento. Co-produzido pela Mídia Indígena e pelo vencedor do Oscar, Fisher Stevens, com Leonardo DiCaprio como Produtor Executivo, o filme vem chamando a atenção em festivais brasileiros e internacionais.

Para os diretores, o filme foi pensado para ser apenas uma semente da qual uma mudança real pudesse brotar. Eles estão lançando uma campanha liderada por indígenas para apoiar o trabalho dos guardiões da floresta, reflorestar seus territórios, promover a bioeconomia e fortalecer cineastas indígenas, como o trabalho da Mídia Indígena. Os territórios de Arariboia e Alto Rio Guamá estão situados na extremidade leste da Amazônia, um local estrategicamente importante para restaurar o ciclo hidrológico da floresta prejudicado pelo desmatamento. A proteção da floresta e a reflorestação nessa região, resultará em um aumento das chuvas e toda a Amazônia será beneficiada. “A notícia deste prêmio é um emocionante começo para a campanha e para os Tembé e Guajajara”, afirmam.

O Prêmio Cultures of Resistance é um projeto da Caipirinha Productions e da Cultures of Resistance Foundation, que tem uma longa história de engajamento social. O programa de prêmios procura oferecer ajuda crítica a artistas e ativistas, construindo solidariedade e promovendo mudanças nas suas comunidades. Os vencedores dos prêmios incluem muralistas, dançarinos, cartunistas, fotógrafos, rappers, artistas plásticos, educadores, agroecologistas, poetas e designers, em mais de três dezenas de países.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *