[Crítica] American Horror Story: Hotel – 5×08 – The Ten Commandments Killer

Em “The Ten Commandments”, oitavo episódio de American Horror Story: Hotel, o foco foi total na história de John Lowe. O episódio deixou as demais histórias um pouco de lado para solucionar os mistérios desse plot.

Talvez em todas as críticas que escrevi nessa temporada eu falei do quanto tenho preguiça e não me importo com a história de Lowe. Imagina um episódio inteiro focado nisso? O mais fraco da temporada, até agora.



Tivemos aqui o desenvolvimento e fim do mistério sobre os assassinatos que Lowe tanto investigava. E… o próprio Lowe era o responsável pelos crimes o tempo inteiro. Não posso dizer que foi uma super surpresa. Acho que não foi para ninguém, não é? O lado bom do episódio foi colocar mais algumas “camadas” em Lowe. Se antes ele era um personagem mais “quadrado”, agora ele ganhou um pouco mais de profundidade e ficou mais denso.

Resumindo, Lowe transformou todo o seu ódio pelos criminosos em assassinatos. Uma espécie de justiceiro, com um senso de justiça bem duvidoso. E isso se liga ao Hotel Cortez porque James March foi o responsável por fazer Lowe botar para fora esse seu lado sombrio.



Mas mesmo com o episódio todo focado em Lowe, é preciso abrir um parênteses para falar sobre o Mr. James March e a atuação de Evan Peters. O personagem é um dos mais interessantes da temporada. O dono do Hotel Cartez tem uma personalidade bem excêntrica, é um assassino megalomaníaco e tem um quê bem canastrão. E toda essa personalidade foi o que fez Lowe, que até semana passada era o mocinho da história, mostrar um lado tão negro.

March escolheu Lowe como o seu “substituto”, basicamente. Lowe virou a sua “mão” no mundo fora do hotel. Já que March não pode sair e cometer os assassinatos ele mesmo, ficou a Lowe esse papel. E, para isso, March manipula os sentimentos do detetive. A série mostrou a importância de Sally na história de Lowe. Sarah Paulson tá bem coadjuvante nessa temporada. Sally encontrou Lowe por acaso no hall do hotel e se envolveu com ele.



O oitavo episódio de American Horror Story: Hotel foi mais um que não adicionou mais personagens ou histórias, e sim focou em resolver o que já havia sido introduzido e abordado anteriormente. Agora que o “grande mistério” sobre John foi revelado, tô curiosa em ver qual serão os próximos caminhos da temporada.

“Estamos prontos para nos vermos por quem somos?”

Leia também:

[Crítica] American Horror Story: Hotel – 5×01 – Checking In

[Crítica] American Horror Story: Hotel – 5×02 – Chutes and Ladders

[Crítica] American Horror Story: Hotel – 5×03 – Mommy

[Crítica] American Horror Story: Hotel – 5×04 – Devil’s Night

[Crítica] American Horror Story: Hotel – 5×05 – Room Service

[Crítica] American Horror Story: Hotel – 5×06 – Room 33

[Crítica] American Horror Story: Hotel – 5×07 – Flicker

[Crítica] American Horror Story: Hotel – 5×09 – She Wants Revenge




Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.