[Crítica] Master of None – 1ª temporada (Netflix)

[Crítica] Master of None (Netflix)

Essa série é um projeto do ator e comediante Aziz Ansari, com seu colega Alan Yang. Em muitos sentidos, não há uma trama central, não há um tema apenas em torno do qual subtramas surgem e revolvem. Essa é uma caracterísitca muito marcante das sériesque são produzidas atualmente, que se concentram mais na construção de personagens – e isso é especialmente verdadeiro no que concerne as comédias.

Dev, interpretado por Ansari, é um novaiorquina de trinta e poucos anos. Ter essa idade (parece esse ser o tema da série) traz momentos decisivos na vida. Muitas vezes, Dev diz: “Namorar alguém estando nessa idade pode significar que vou passar o resto da vida com aquela pessoa”. 
O medo de tomar uma decisão rondeia quase que todos os capítulos. Isso se reflete na dificuldade que Dev tem de assumir um relacionamento sério, ou de trocar de profissão quando percebe que o desejo de ser ator não vai mais se concretizar.
A abordagem de temas tão universais (ao menos para quem mora numa grande cidade em qualquer parte do mundo ocidental) faz a série ser extremamente empática. Os personagens ajudam; seguindo tendências progressistas, a série procura exibir um leque muito variado de tipos de personagens. Todos eles esbanjam carisma e são por si só interessantes. O romance central, cuja química é sempre difícil de segurar por diversos episódios em qualquer série que seja, é bonito e faz com que a gente torça pelo relacionamento.
A série brilha ainda mais quando toca em assuntos contemporâneos e, por que não dizer, políticos. O episódio que trata da presença de indianos na TV norte-americana é muito bem costurado. Começa com uma série de clichês que foram construídos do que é ser um imigrante indiano. Aziz, que assina o roteiro da maioria dos episódios e até dirige um deles, não se entrega à demagogia, e cria muito humor mostrando como ideias de correção política na maioria das vezes dá lugar aos interesses pessoais.
Um outro episódio que merece destaque é o de número nove. Nele, uma relação é esmiuçada pelo período de um ano. Desde que a moça vai morar com Dev. O capítulo trata com muita sensibilidade e honestidade sobre como é doce e amargo conviver com a pessoa que se ama.
A série é mais uma bela surpresa no Netflix que não para de provar que está com tudo, e que parece ser o futuro mais viável que existe hoje para as produções televisivas.
Nota: 4.5/5

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.