[Mostra Cinema SP 2015] Túmulos e Ossos

[Motra Cinema SP 2015] Túmulos e Ossos

O filme Túmulos e Ossos, direção de Anton Sigurdsson, sabe bem a que veio: ele quer ser um filme de horror. Tenta, para tanto, fazer uso de uma miríade de estratégias que já ficaram célebres nos filmes do gênero. Acontece que o filme usa demais esses recursos e sobra pouca coisa original para envolver o espectador.


Gunnar (Skúli Andrésson) aplica com o irmão um golpe. Nunca fica muito claro de que natureza é esse crime financeiro (em certa altura do filme, um dos personagens chega a dizer que o que todo mundo faz esse tipo de coisa – parece implícito apenas que o feito é condenável). Quando tudo dá errado, o irmão de Gunnar, mais sensível, comete suicídio e deixa para trás a filha Perla.

Então, Gunnar, afundado em culpa – que tenta dissimular -, e sua mulher vão à casa de interior onde morava o irmão buscar a sobrinha. A partir do momento que chegam ali, e conhecem uma espécie de caseiro do local, coisas estranhas começam a acontecer.

Pois é, pode começar a listar todo tipo de clichê que você já viu em filmes de terror: imagens no espelho, sustos com a trilha, a menina angelical e demoníaca. O filme, como estudo de gênero, fica muito aquém de causar efeito no espectador. O final, tentando ser surpreendente, é apenas frustrante ao se revelar pouco inventivo. Um filme preguiçoso.

Nota: 2/5

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.