Scream Queens vai ser mais ‘caricata’ do que American Horror Story

Ryan Murphy, criador de Scream Queens, American Horror Story e Glee, falou sobre sua nova série durante a TCA Press Tour. Ao lado do elenco e dos co-criadores Ian Brennan e Brad Falchuk, ele falou que Scream Queens tem uma tonalidade distinta e muito diferente de American Horror Story.


“Eu acho que Scream Queens tem uma qualidade muito mais satírica e caricata do que American Horror Story,” disse ele, “que é muito mais sexualizada e sombria às vezes. E sim, nós tivemos discussões saudáveis com os padrões de transmissão. Chocantemente, mais sobre linguagem e as meninas com um sentido de empoderamento sobre seu próprio senso de sexualidade. QUer dizer, essa é a única coisa que eu sempre acho muito desagradável, é que violência é legal, na maior parte das vezes. Violência é muito fácil de passar no meu trabalho. É a linguagem, é a gíria, é tentar realmente refletir como as pessoas falam que não. É tentar escrever personagens que estão abertos sobre suas sexualidades, que falam sobre sua sexualidade que recebem mais atenção e mais resposta negativa”.

Scream Queens é uma série de comédia-horror que explora um assassinato misterioso, também com um olhar mordaz satírico sobre o sistema de faculdade. Essa é uma qualidade que Jamie Lee Curtis admira. “Eu acho muito fantástico como a série é uma sátira social,” disse ela. “E, na verdade, nós falamos o que as pessoas pensam. Sabe, todos nós vivemos nessa bolha protetora onde todos estamos tentando nos comportar e ter a aparência de certa maneira. E a coisa que é muito brilhante sobre a série é que ela desnuda, ela explora os comportamentos imaginados dos seres humanos, e realmente mostra, penso eu, como as pessoas são, que é inerentemente sombrio, inerentemente infeliz.”

“Nós somos seres humanos frustrados, irritados,” continuou Curtis, “que estamos tentando desesperadamente sobreviver. E o que é divertido sobre essa série é que tudo que você pensa sobre cada um desses personagens, você não sabe merd* nenhum sobre qualquer coisa. Porque aqui todos estão vestindo uma máscara e essa série desmascara essas máscaras a cada semana, e é brilhante.”

“O que ela está dizendo é verdade,” disse Emma Roberts, “às vezes você lê e pensa, ‘Oh meu Deus, isso é insano e louco, e quem fala desse jeito?’ Mas uma vez que você começa a ir lá, é difícil de fazer, então você meio que tem que aceitar sua personagem e entrar em seu ponto de vista, e saber que também não é real. É esse mundo imaginado e é uma espécie de loucura e divertido. Mas, sim, há definitivamente momentos em que eu tive que pedir desculpas para as meninas assim que gritaram ‘Corta'”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.