George RR Martin: ‘Hollywood teria arruinado Game of Thrones’

Alguns dizem que a TV a cabo venceu há muito tempo sua batalha contra os filmes – e que Game of Thrones, adaptação da série de livros de George RR Martin para a HBO, foi um dos exemplos de golpes fatais. No entanto, como a popularidade de Game of Thrones na TV continua a aumentar, a pergunta surge: por que não foi uma série de filmes?


A resposta, de acordo com o próprio George RR Martin, é o que a maioria dos leitores devem imaginar. “Peter Jackson demorou três filmes para fazer o livro O Senhor dos Anéis de Tolkien e ele ainda teve que cortar coisas,” contou no The South Bank Show ontem à noite. “Teriam que ser feitos três filmes apenas para A Tormenta de Espadas!”

A Tormenta de Espadas, publicado em 2000, tem 82 capítulos e quase 1000 páginas e tomou toda a terceira temporada da série e boa parte da quarta para ser retratado.

“E teriam que ser feitos dois filmes para A Guerra dos Tronos e dois para A Fúria dos Reis,” disse, sobre os livros de 704 e 768 páginas, respectivamente, “então você já tem seis filmes e está no meio da história. Ninguém vai se comprometer com isso – e, é claro, eles não se comprometeram com isso.”

“As pessoas que conheci que trabalham com filmes me disseram duas coisas. Algumas disseram, ‘Oh, nós vamos fazer apenas o primeiro filme! E depois que se tornar um sucesso, vamos fazer mais.’ Bom, é claro, se você for por esse caminho. Então você tem Fronteiras do Universo de Philip Pullman. Ótima fantasia, eles fizeram o primeiro filme, não foi tão bem como esperaram e você nunca mais verá um segundo filme.”

“Além disso, eles disseram, ‘Bom, é, é verdade que é muito completo; é muito grande da maneira que é, mas temos de encontrar o arco central. E nós decidimos que o arco central deve ser Jon Snow’. E assim o filme inteiro seria sobre Jon Snow. Ou o arco central seria Daenerys. O filme todo seria sobre esta princesa exilada que dá à luz dragões. Isso pode ser um bom filme, e poderia ser interessante, mas não seria minha história. Minha história é uma combinação de coisas.”

Martin, portanto, tomou a decisão de levar os livros à HBO, que estreou a série em 2011. “Eu não precisava do dinheiro, então eu tinha o poder de dizer a palavra mais sexy de Hollywood: não”.

Mas isso não significa que nunca haverá um filme de GoT. O presidente da programação da HBO, Michael Lombardo, não demonstra interesse. “Quando você começa uma série com nossos assinantes, a promessa é que, com sua taxa paga à HBO, nós vamos levá-lo até o final da história,” contou ao Entertainment Weekly em março desse ano, acrescentando que um filme seria “mudar as regras. Agora você tem que pagar 16 dólares para ver como a sua série termina.”

Mas Martin sugeriu que, embora não ache certo levar o início da saga para os cinemas, terminá-la dessa maneira é sua opção preferida. “Claro, eu amo a ideia,” escreveu em seu blog no início do ano. “Por que não? Que escritor de fantasia não amaria a ideia de fazer um filme épico de 100 milhões de dólares? E o recente sucesso da experiência Imax mostra que o público estaria lá para tal filme. Se nós construirmos, eles virão. Mas vamos construi-lo? Não tenho ideia.”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.