Beyoncé pode ter que tirar todas suas músicas do Tidal

Em março, o novo empreendimento de Jay Z, Tidal, foi revelado com grande alarde com um elenco repleto de estrelas. Beyoncé, Madona, Rihanna, Nicki Minaj, Jack White… Acontece que alguns desses artistas podem ter esquecido de verificar com suas gravadoras primeiro, e muitos deles realmente não têm o controle de direitos de streaming sobre suas músicas, incluindo Beyoncé.


Agora, parece que o Tidal tem que fazer um acordo com a Sony, que detém os direitos para transmitir a música de Beyoncé. Um artigo recente da Bloomberg revelou que a Sony está procurando fazer um acordo com a start-up de streaming que supostamente irá à falência em breve, e se não conseguirem, eles podem tirar toda a música de Beyoncé do site, o que pode ser bem desagradável para todos os envolvidos. E ainda, como a Billboard apontou, a Sony acabou de fazer isso com o Soundcloud, tirando as músicas de Adele, Hozier, Kelly Clarkson, Miguel e mais do site quando as duas partes não chegaram a um acordo de licenciamento.

Bloomberg revelou que Tidal certamente não se opõe a isso, tendo atingido acordos semelhantes com Universal e Warner, mas a empresa está tendo problemas de fluxo de caixa após um acordo de investimento com a Sprint. Somando-se as suas aflições sobre dinheiro, enquanto o site afirma ter 900 mil inscritos, especialistas da indústria parecem acreditar que a maioria desses assinantes se inscreveram apenas para testar o serviço e irá cancelar a conta em breve.

Ainda assim, Tidal precisa vir com dinheiro para fazer o acordo com a Sony, ou, como o Bloomberg adverte, “ele enfrentará a possibilidade de perder álbuns de alguns de seus co-proprietários, mais dolorosamente Beyoncé, que é artista da Sony.” A Sony também controla os direitos de streaming de Daft Punk, Alicia Keys, e outros artistas da Tidal.

Como o Bloomberg também aponta, pegar os titãs da música streaming é um jogo longo. Spotify, que é o líder do mercado de streaming de música, teve que trabalhar por nove anos para ser avaliado em 8 bilhões de dólares. Jay Z está no mercado há apenas alguns meses. Mas enquanto perder o direito de reproduzir a música de sua esposa e co-proprietária pode ser constrangedor, ainda não significa o fim do Tidal.

E para os fãs, lembrem-se, se Tidal não conseguir fazer acordo com a Sony, o que é improvável, você sempre pode ouvir Beyoncé no Spotify, onde ela irá obter 70% da receita, em vez de 75% do Tidal.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.