[Crítica] American Horror Story: 1×06 – Piggy Piggy

Você teria coragem de ficar em frente ao espelho do banheiro com as luzes apagadas e dizer “piggy, piggy”? Depois desse episódio, eu certamente não. hahaha


Esse episódio tem participação especial de Eric Stonestreet, de Modern Family, como um paciente de Ben (Dylan McDermott), Derek. Ele conta a Ben sobre seu medo de várias lendas urbanas. E isso acaba nos introduzindo à lenda do “Piggy Man” (ou do homem porco), onde tudo acontece após falar seu nome em frente ao espelho do banheiro. Mas essa lenda nunca foi revelada real, pois Derek acaba morrendo após encarar o seu medo e falar “Piggy Man” em frente ao espelho, mas por ladrões. Depois de Ben perder o seu terceiro paciente, será que a polícia vai ficar desconfiada sobre ele?

O assunto principal do episódio foi Violet (Taissa Farmiga) descobrindo sobre todos os detalhes loucos e paranormais sobre Tate (Evan Peters). As coisas que ela descobre são tão absurdas que no fim ela acaba tentando se matar e é salva por… Tate.

No início do episódio, vemos cenas de 1994, época do tiroteio no colégio. Tate até agora pareceu alguém super legal. Meio louco, mas legal. Então não foi fácil ver ele tão sangue frio em frente aos policiais americanos após eles invadirem sua casa, já que ele foi o responsável pelo tiroteio.

Outra coisa muito louca foi Moira (Frances Conroy) e Constance (Jessica Lange) conseguindo convencer Vivien (Connie Britton) a comer órgãos crus e sangrentos, pois seria bom para o bebê. Isso mesmo, ela comeu um cérebro… Eca.

Uma cena mais emocional foi a com Constance e a medium Billie (Sarah Paulson), com ela se comunicando com Addy (Jamie Brewer). Essas cenas são boas para dar ainda mais profundidade a Constance, que poderia ser um personagem raso, apenas louco e/ou malvado.

Billie também explica que alguns fantasmas são vingativos, enquanto outros apenas não sabem que estão mortos. E esse é o caso de Tate. E Constance quer que Violet a ajude a fazer Tate “passar para o outro lado”.

E depois de vermos em detalhes o massacre cruel de Tate, fica a pergunta: o que o fez se tornar essa pessoa doce e boa? E Violet, ela realmente vai “abrir mão” de seu namorado e ajudá-lo a ir para a vida após a morte, como Constance quer?

Nota: 4/5

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.