[Crítica] Killing Eve: 3×01 – Slowly Slowly Catchy Monkey

Após um final chocante na segunda temporada, Killing Eve volta em sua terceira temporada nos dando um panorama da vida dos personagens principais após os últimos eventos.

Acreditando que Eve (Sandra Oh), a quem chama de “ex”, está morta, Villanelle (Jodie Comer) lida com o luto casando-se com uma mulher que conheceu em um aeroporto. A falta de ligação profunda de Villanelle com sua esposa fica clara quando ela diz: “Quando eu conheci Maria, pensei: ‘Que sapatos lindos’. Mas acabei descobrindo que há muito mais nela que isso. Ela tem uma casa incrível, uma piscina e um alfaiate. Cabeleireiro. É de fato o pacote completo”.

Logo depois, após ver uma das convidadas do casamento, que tinha descendência oriental, Villanelle lembra de Eve. A cena nos explica o atual pensamento da personagem sobre Eve: “Quando nos conhecemos [Villanelle e Maria], eu tinha acabado de passar por um término horrível. Foi muito ruim. Mas quando penso na minha ex hoje, eu percebo que estou muito mais feliz agora que ela está morta”.

O casamento não acaba bem após Dasha aparecer e Villanelle brigar com ela. Dasha era assassina profissional e treinou a personagem de Jodie Comer. Ela quer que Villanelle volte a trabalhar, mas a personagem coloca a condição de ser uma guardiã, e não assassina. E vemos, pela primeira vez na temporada, Villanelle em ação.

E como está Eve? Podemos ver como tudo o que aconteceu na segunda temporada teve impacto na personagem. Agora, ela trabalha na cozinha de um restaurante. Em casa, se alimenta de junk food e vinho. Ela está viva, de fato. Mas está bem? Sua vida está drasticamente diferente, certamente mais monótona e é seguro dizer que seu casamento morreu.

Após enviar uma mensagem de texto para Kenny (Sean Delaney) sobre o rolo de papel higiênico, ele vai até a casa de Eve. Na conversa entre eles, percebemos Eve inconscientemente pensando em Villanelle, quando Kenny inicia uma pergunta, ela responde sobre Villanelle, mas na verdade a pergunta era sobre… Niko. O primeiro episódio da terceira temporada de Killing Eve nos mostra que Villanelle e Eve seguiram a vida… Não tanto assim. Teoricamente.

Quanto à Carolyn (Fiona Saw), ela precisa lidar com as consequências da missão em Roma. Quando no apartamento de Eve, Kenny mencionou que estava investigando Os Doze. Eve finalizou a conversa. No fim do episódio, ela decide ir de encontro a Kenny. Será que ela mudou de ideia e queria falar sobre Os Doze? Eve vai ao trabalho dele e encontra o seu telefone. O corpo de Kenny é jogado do prédio. Quem cometeu o assassinato? O episódio acabou com uma cena forte e foi o pontapé inicial para o mistério a ser desvendado.

“Slowly Slowly Catchy Monkey” serviu para nos situar na série e também para introduzir novos personagens. Não me empolgou tanto, mas colocou as possíveis cartas da temporada sobre a mesa. Para mim, um dos pontos altos foi o flashback com o passado da Villanelle. Sempre bom conhecermos mais sobre a história de uma personagem para adicionar mais profundidade para suas ações atuais.

Acima de tudo, Killing Eve começou de uma forma agradável e segura e, como sempre, apoiada pelas sempre excelentes performances das duas atrizes principais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *