Taylor Swift é proibida de apresentar músicas antigas e pede ajuda de fãs e artistas

Na noite desta quinta-feira (14), Taylor Swift fez um longo desabafo em suas redes sociais. Os empresários Scott Borchetta e Scooter Braun estão proibindo a cantora de apresentar suas antigas músicas.




Os dois empresários possuem os direitos de todas as músicas cantoras, de seu primeiro álbum ao reputation. No desabafo, Taylor contou que estava planejando cantar um medley de seus principais sucessos no American Music Awards. A cantora será homenageada com o prêmio de Artista da Década no evento.

Além disso, a Netflix está preparando um documentário de sua vida. Scott e Scooter proibiram a cantora de apresentar suas músicas antigas no AMA, assim como a Netflix de utilizar as canções e performances no documentário.

A cantora revelou que Scott Borchetta a chantageou; ela não poderia usar as músicas que compôs caso regravasse todos os álbuns – algo que ela já anunciou que irá fazer – antes de novembro de 2020 e se parasse de falar sobre os dois. A cantora terminou o desabafo pedindo ajuda dos fãs e artistas.




Confira o texto na íntegra abaixo.

Gente, foi anunciado recentemente que o American Music Awards irá me homenagear com o prêmio de Artista da Década na premiação deste ano. Eu estava planejando apresentar um medley dos meus hits da última década. Scott Borchetta e Scooter Braun avisaram que eu não estou permitida de apresentar minhas músicas antigas na TV porque eles dizem que isso seria regravar as minhas músicas antes de eu ser permitida de fazer isso no próximo ano. Além disso – e essa não é a forma como eu pretendia contar essa notícia – a Netflix vem trabalhado em um documentário sobre a minha vida nos últimos anos. Scott e Scooter recusaram o uso das gravações minhas músicas e performances antigas nesse projeto, mesmo que não haja nenhuma menção a nenhum deles nem à Big Machine Records no filme.

Scott Borchetta disse para a minha equipe que eles vão me permitir usar a minha música apenas se eu fizer isso: Concordar em não regravar minhas músicas no ano que vem (o que é algo que eu sou legalmente permitida e estou muito ansiosa para fazer) e disseram para a minha equipe que eu tenho que parar de falar sobre ele e Scooter Braun.




Eu acredito muito que compartilhar o que está acontecendo comigo pode mudar a conscientização de outros artistas e potencialmente ajudá-los a evitar um futuro parecido. A mensagem que estão me enviando é muito clara. Basicamente, seja uma boa menina e cale a boca. Ou você será punida.

Isso é ERRADO. Nenhum desses homens participou na composição dessas músicas. Eles não fizeram nada para criar a relação que eu tenho com os meus fãs. Então é aqui que estou pedindo a ajuda de vocês.

Por favor falem para Scott Borchetta e Scooter Braun como vocês se sentem sobre isso.

O Scooter também é empresário de vários artistas que eu acredito que se importam com outros artistas e seus trabalhos. Por favor peçam ajudas para eles – eu estou torcendo que talvez eles possam convencer esses homens que estão praticando um controle tirânico sobre uma pessoa que só quer tocar a música que ela escreveu. Eu estou especialmente pedido ajuda do Carlyle Group, que investiu dinheiro na compra da minha música por esses dois homens.




Eu só quero poder apresentar AS MINHAS músicas. É só isso. Eu tentei tratar disso de forma privada por meio da minha equipe, mas não foi possível resolver nada. Neste momento, minha performance no AMA, o documentário a Netflix e outros projetos que estava planejando até Novembro de 2020 são um ponto de interrogação. Eu amo vocês e achei que deveriam saber o que estava acontecendo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *