[Crítica] His Dark Materials: 1×02 – The Idea of North

O segundo episódio da primeira temporada de His Dark Materials, “The Idea of North”, focou na chegada de Lyra (Dafne Keen) à casa da Sra. Coulter (Ruth Wilson), em Londres. O episódio também nos mostrou nuances na Sra. Coulter, as crianças desaparecidas e deu mais detalhes sobre as características dos daemons.




O primeiro episódio deu o tom de fantasia à série, enquanto o segundo foi mais informativo. Toda a parte em que o episódio foca na Sra. Coulter tentando moldar Lyra em nada se parece com o que vimos – e o que poderíamos esperar – após o piloto. Mas Lyra não se enquadra neste molde e segue com sua personalidade inquieta, curiosa e aventureira. A vontade de encontrar Roger continua ali, e Lyra não se satisfaz com as repetidas vezes que a Sra. Coulter afirma que está fazendo tudo o que pode para encontrar o seu amigo.

“The Idea of North” começa com uma aparente atmosfera de normalidade, mesmo com a Sra. Coulter tentando moldar o jeito e as roupas de Lyra. Mas logo essa normalidade é deixada de lado, quando Lyra – e a gente – descobrimos que a Sra. Coulter não é como aparentava ser.

Além de descobrirmos quem a Sra. Coulter realmente é, e ela se encontrando com as crianças desaparecidas, outra informação importante do episódio é a de que Lorde Asriel (James McAvoy) é o pai de Lyra. A garota sempre pensou que Asriel era o seu tio. E quem é sua mãe? Ainda não sabemos. Outro momento importante foi o Lorde Boreal (Ariyon Bakare) passando por um portal entre os dois mundos e vindo à Oxford do nosso mundo. Isso deve ser mais aprofundado adiante.




Um dos destaques do episódio, para mim, foi o aprofundamento que deu nas características dos daemons. Sem precisar fazer diálogos expositivos ou explicar de forma clichê, His Dark Materials nos mostrou o daemon de Lyra mudando de forma, já que ela ainda é criança, o daemon da Sra. Coulter conseguindo ficar longe fisicamente dela e a jornalista sendo morta quando o seu daemon, uma borboleta, é esmagada nas mãos do Lorde Boreal.

Achei o segundo episódio bem melhor e mais empolgante que o primeiro. Dessa vez, diferente do que aconteceu após o primeiro episódio, tive vontade de ver imediatamente o que acontecerá a partir de agora.


Leia também: Crítica do episódio 1×01 – “Lyra’s Jordan”




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *