[Crítica] Better Call Saul: 2×01 – Switch

[Crítica] Better Call Saul: 2x01 - Switch
Como se não fosse o bastante a primeira temporada estupenda de Better Call Saul, o primeiro episódio da segunda temporada chega com ares de perfeição. Em tudo:clima, construção de personagem, ritmo, em nos apontar a tortuosa luta entre se querer fazer o bem em detrimento dos encantos que o mal podem trazer. 

Neste primeiro episódio, Saul, que ainda é Jimmy, tem um lampejo e decide chutar o balde; não vai mais seguir a carreira de advogado, na qual ele acredita ter se metido por todas as razões erradas. Impagável é o momento que ele tem com Mike, entediado ali na guarita. Jimmy diz: “É impressão minha ou eu perdi a chance de ficar com uma mala cheia de dinheiro?”. 

A cena indica para onde sua consciência parece pender no momento. No entanto, muito embora pareça que ele quer fazer essa permuta (Switch em inglês), ainda não lhe é fácil assumir a nova persona. Todo o capítulo se concentra em investigar se ele vai conseguir ou não assumir que “é do mal”. Muito possivelmente a temporada irá ficar assim, indo e vindo, até ele se assumir lá no final.
A propósito de persona má e persona comportada, o ep se inicia no presente, no nosso presente pós-Breaking Bad. Saul fica preso numa espécie de depósito de lixo no Shopping em que trabalha e não pode abrir a porta de segurança porque esta acionaria a polícia. Então ele fica ali, num misto frustrante de irritado e domesticado, sentado, esperando alguém chegar. 

O hotel

O grande momento do ep se concentra num hotel onde Jimmy se hospeda sob outro nome. Ele pretende desfilar seu enorme conhecimento de golpes por lá, pedindo bebidas caras e fugindo sem deixar pista. Ele está, no entanto, perdido e ainda bastante confuso sobre ter deixado sua carreira num momento em que ela estava finalmente pronta para despontar. 
Entre as tantas coisas que o deixam para baixo, está Kim, seu interesse romântico. Saul ainda tem um coração nessa época, é importante lembrar, e ficamos com a impressão de que ele deixou sua carreira não porque sente que aquele não é seu chamado mas, antes, porque acredita que trabalhar num caso junto de Kim estragará as chances que ele tem de terminar com ela. O casal funciona muito bem. Kim, obviamente, se importa com ele. Os dois têm um momento fantástico passando a perna num corretor da bolsa um tanto insuportável. Depois disso dormem juntos.
Com um grande episódio de abertura, a segunda temporada chega com tranquilidade e deixa qualquer fã de Breaking Bad pra lá de orgulhoso com essa equipe.

5/5

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *