Ariana Grande faz manifesto feminista, diz que não é propriedade de ninguém e cita Gloria Steinem

Ariana Grande usou sua conta no Twitter para fazer um grande desabafo. O seu manifesto feminista foi sobre como a mídia cobre o seu passado relacionamento com Big Sean. Ela disse: “Eu… não. pertenço. a ninguém. além de mim mesma. e nem você.” Ela também disse que está cansada de ser chamada de “ex de Big Sean”.


E há muitos pontos justos no manifesto postado por Ariana, a maioria sobre o padrão duplo que a mídia possui, colocando as mulheres num papel social de “amaldiçoadas se fazem, condenadas se não fazem”. Ela disse: “Se uma mulher simplesmente FALA abertamente sobre sexo… ela é constrangida pelos outros! Mas se um homem fala ou faz um RAP livremente sobre todas as mulheres (ou mais comumente mencionadas como “cadelas” e “p*tas” … que adorável) que ele já ficou, ele é venerado.”

“Se uma mulher é vista com um amigo com pênis, há uma suposição imediata de romance ou sexo e ela é rotulada!!! Se um homem é visto com uma mulher… seu status é elevado/comemorado. ‘AWWWWW NOSSSA ELE DETONOU!!!1!!!!11!'”

Grande orgulhosamente disse que está “fazendo a melhor música que já fez em sua vida” e que “nunca se sentiu mais presente, pé no chão e satisfeita” do que está agora, tudo sem ter um homem em sua vida. O tweet já foi retwitado mais de 75 mil vezes, mais de 500 mil likes no Instagram e ganhou apoio de amigas famosas, como Taylor Swift.

Confira o manifesto completo de Ariana abaixo, seguido da tradução:

— Ariana Grande (@ArianaGrande) 7 junho 2015

Ser “poderosa”… não é a mesma coisa de ser uma “vaca”… TER ALGO PARA FALAR… não é o mesmo de TER UM COMPORTAMENTO RUIM…
O que eu quero dizer quando falo sobre não ser a ex de Big Sean é que estou cansada de viver em um mundo em que as mulheres são normalmente referidas como PROPRIEDADE passada, presente ou futura de um homem. Eu… não. pertenço. a ninguém. além de mim mesma. e nem você.

Eu não estou respondendo perguntas sobre meninos em minhas entrevistas ultimamente porque eu cheguei há conclusão de que eu tenho MUITO. MUITO. MAIS. a falar. Estou atualmente fazendo a melhor música da minha vida, tendo o melhor momento da minha vida em turnê com algumas das melhores pessoas que eu já conheci. Trabalhando pra caramba todos os dias, me apresentando e criando para meus bebês e aproveitando a oportunidade de conhecer e abraçar meus bebês em todo o mundo todos os dias.

Eu venho de uma longa linhagem de mulheres ativistas. Minha tia Judy foi a primeira mulher ítalo-americana do clube nacional de imprensa de Washington. Eu acho que ela teria ficado orgulhosa de mim por falar sobre algo que tem me incomodado pessoalmente por tanto tempo.
Gloria Steinem publicou um artigo em 1969 intitulado “Depois do black power, libertação das mulheres” e 46 anos mais tarde… ainda não estamos lá!
Se uma mulher faz muito sexo (ou qualquer sexo que importe)… ela é uma “vagabunda”.
Se um homem faz sexo… ELE. É. UM. MACHÃO. UM GARANHÃOOOO. UM REI.
Se uma mulher fala abertamente sobre sexo… ela é constrangida pelos outros!
Mas se um homem fala ou faz um RAP livremente sobre todas as mulheres (mais comumente chamadas de “cadelas” ou “p*tas”… que adorável) que ele já teve… ele é venerado.
Se uma mulher é vista com um amigo com pênis, há uma suposição imediata de romance ou sexo e ela é rotulada!!!
Se um homem é visto com uma mulher… seu status é elevado/comemorado. ‘AWWWWW NOSSSA ELE DETONOU!!!1!!!!11!’

Eu sei que vocês todos já sabem disso, mas o duplo padrão e misoginia ainda não estão presentes. Eu mal posso esperar para viver em um mundo onde as pessoas não são valorizadas por quem elas estão namorando/casadas/saindo/tendo relações sexuais (ou não)… mas por seu valor como um indivíduo.

Eu quero que as pessoas que estão lendo isso saibam que elas são MAIS DO QUE suficientes por conta própria. Eu quero que a mídia por favor me ajude com isso!!! Por favor, apoiem uns aos outros. Estou dizendo isso após oito anos sentindo que eu tinha que ter um rapaz ao meu lado. Depois de estar sozinha por alguns meses eu estou percebendo que esse não é o caso… Eu nunca me senti mais presente, pé no chão e satisfeita. Eu nunca ri mais forte, me diverti mais ou aproveitei mais a vida do que agora.

E mais uma coisa… meus diários Honeymoon são a minha maneira de compartilhar absolutamente tanto quanto posso com meus fãs. Isso é algo que eu tenho feito desde o primeiro dia e não planejo mudar nunca. É um ambiente seguro para eu ser eu mesma e compartilhar coisas engraçadas, especiais e pessoais com meus fãs e rir sobre coisas bobas que fiz/coisas que estou passando. Eu não planejo mudar isso porque há mais olhos em mim do que havia antes. Eu amo todos vocês com todo o meu coração… vocês me aceitaram e me celebraram não só como artista, mas como pessoas desde o primeiro dia e nada vai mudar isso ou me mudar.

“Qualquer mulher que escolhe comportar-se como um ser humano completo deve ser alertada que os exércitos do status quo irão tratá-la como um tipo de piadinha suja. Ela irá precisar de sua irmandade” – Gloria Steinem

E depois ela twitou a mensagem: “vocês todas que fazem parte da ‘irmandade’ mencionada no final… amo vocês”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *